Acervo online de Pixinguinha


Houve um tempo de rara inspiração na música instrumental brasileira em que a união do folclore com a influência clássica europeia propiciaram a criação de um requintado estilo musical que viria a ser conhecido como chorinho. Músicos como Ernesto Nazareth (1863-1934) e Chiquinha Gonzaga (1847-1935), dotados de extremo virtuosismo, criaram no século XIX o movimento que seria consagrado por meio de um dos maiores compositores brasileiros, o instrumentista, arranjador e maestro Alfredo da Rocha Vianna Filho, vulgarmente conhecido como Pixinguinha (1897-1973). O IMS lançou um site com centenas de canções, incluindo 40 músicas inéditas, documentos, depoimentos, discografia para audição online, recortes de críticas, fotografias e cadernos de anotações, somando mais de 9 mil peças — todas elas pertencentes ao acervo que está sob cuidado da instituição desde 2000. O site é comemorativo  dos 120 anos de nascimento de Pixinguinha, completados em abril de 2017, reunindo farta documentação sobre sua vida e sua obra como compositor, arranjador e intérprete.

Um tempo muito anterior à criação do próprio termo MPB, normalmente associado à interpretação de Elis Regina para a canção "Arrastão", de Vinicius de Moraes e Edu Lobo, contestação ao movimento da bossa nova, inspirado pelo jazz norte-americano — tão bem registrado no recente filme sobre a cantora. Para o lançamento do site de Pixinguinha e também com o objetivo de comemorar o centenário de "Carinhoso", o IMS preparou um videoclipe especial desta que é a obra mais conhecida do compositor com a participação de grandes nomes música popular, como Chico Buarque, Zélia Duncan, Joyce, Jacques Morelenbaum e Monarco. Visitem o site de Pixinguinha.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

100 Livros Notáveis em 2017 - New York Times

Fernando Morais - Corações Sujos

As 20 melhores distopias da literatura

19ª Festa do Livro da USP

Tianjin Binhai Library, a mais nova biblioteca da China

As 20 obras mais importantes da literatura francesa